A síndrome do climatério

 

Climatério

Temos verificado um crescente interesse por parte dos médicos que cuidam da saúde feminina em dedicar uma extensão redobrada por ocasião do climatério. Podemos defini-lo como sendo o período de transição entre os anos reprodutivos e não reprodutivos. Em outras palavras, os anos de vida vividos imediatamente antes e depois da menopausa. Embora esta denominação não seja muito empregada, chamamos de síndrome do climatério quando as alterações fisiológicas e psicológicas destes anos estão associadas a sintomas.Calor

Mecanismos

Os mecanismos que desencadeiam estas queixas relatadas por tantas mulheres não são totalmente conhecidos. Sabemos que as ondas de calor súbitas e a sudorese noturna podem causar profundas de distúrbios psicológicos e, inegavelmente, constitui a base de todo o desconforto físico experimentado por elas.

É frequente o relato de que, muitas vezes, repentinamente durante a noite, a mulher acorda a lançar as cobertas para cima quando surgem as ondas de calor. Existem muitas outras sintomas que são relatados pelas mulheres na idade do climatério e que não estão recebendo tratamento.

Climatério

Vulva e vagina, qual a diferença?

Na área genital, vulva e vagina, podem surgir sinais de atrofia do epitélio, secura vaginal, perda da resistência, facilidade de traumatismos, desconfortos, prurido, queda dos pelos pubianos, vaginismo (dor a penetração) e dispareunia (dor durante a relação sexual). No sistema urinário, uretra e bexiga, são frequentes as queixas de infecções repetidas, urgência e incontinência urinária. A deficiência hormonal nestes anos pode resultar em prolapso uterino, vesical (bexiga) ou vaginal( modificação atômica pela mudança de posição, vulgarmente chamada de “queda”), impondo a necessidade de correção cirúrgica.

Em outras regiões da pele podemos ainda citar a boca seca, a queda de cabelo ou a perda de oleosidade e um ligeiro grau de hirsutismo na fase (nascimento de pelos). Uma outra mudança é notada na tonalidade da voz, que fica mais grossa. As mamas começam a reduzir de tamanho, fica o menos consistentes e tendem a ficar caídas.

Sobre o sistema cardiovascular e esquelético acontecem as chamadas alterações silenciosas, pois a desmineralização óssea e a arteriosclerose podem mostrar a sua presença apenas quando não há mais nada o que se possa fazer. No sistema neuroendócrino as ondas de calor e os distúrbios psicológicos podem representar as queixas mais dramáticas e perturbadoras.

Sintomas do climatério

Razão maior desde a preocupação dos médicos em relação às queixas femininas, tão corriqueira nesta fase da vida, se deve ao fato de que hoje expectativa de vida da mulher é muito maior em comparação com a de nossa mãe e avós. Visto representa, de maneira direta, o número relevante de mulheres que atingem os 50 anos de idade e, portanto, estão sujeitas aos sintomas do climatério e menopausa.

E quanto a esperança de vida para uma mulher não chegava aos 25 anos na primeira década de era cristã ou Aos 45 anos do início deste século, hoje a probabilidade dela antes de aos 80 anos é muito grande nos países desenvolvidos do ocidente. Com isto, numa relação também estreita, o contingente de mulheres que chega a menopausa é de aproximadamente 20% do total da população feminina. como a alguns anos poucas mulheres atingiram a menopausa, os efeitos mórbidos desta falência hormonal não eram valorizados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *